Como a qualidade do sono afeta nosso cabelo?

Resultado de imagem para descanso

Como a qualidade do sono afeta nosso cabelo?

Há muitas razões pelas quais podemos sofrer a queda do cabelo. Algumas estão fora de nosso controle, outras não. Dormir bem e descansar adequadamente é um dos fatores que podem afetar a saúde de nosso cabelo e que podemos controlar. Por isso, vamos fazer. Parece demonstrado que as pessoas que não dormem o suficiente, aumentam as chances de perder mais cabelo do que deveriam. Mas, por quê? É sabido que as alterações do sono afetam o nosso organismo.

Imagem relacionada

O déficit de sono é um fator gerador de ansiedade e o estresse está diretamente relacionado com a queda de cabelo. Portanto, em épocas de stress, o cabelo cai. Não só a falta de sono afeta o cabelo, sendo preciso o uso de remedio para queda de cabelo, mas que também foi visto que há uma estreita relação entre falta de sono e o sistema imunológico, e na secreção de hormônios, a resistência física e mental.

Por isso, devemos manter uma disciplina de sono saudável. Muitos especialistas recomendam dormir pelo menos oito horas diárias. Mas, quantas são realmente necessárias e suficientes? Como sempre, depende de cada um.
Há pessoas que podem dormir poucas horas, sem sofrer grandes consequências, enquanto que outras não podem fazer face ao dia-a-dia sem as oito que temos falado. Além disso, não só há que ter em conta a quantidade. A qualidade de nosso sono também é importante.

Imagem relacionada

Em qualquer caso, a falta de sono costuma causar cansaço e estresse. E este último é um dos grandes inimigos do nosso cabelo, tal e como já dito em anteriores ocasiões assim que, por esta e por muitas outras razões, devemos cuidar do nosso descanso. Porque, em suma, com isso nos estimamos a nós mesmos.

Em qualquer dos casos, caso esteja com problemas o melhor é ir até o especialista mais adequado, que irá passar todo o tratamento e os medicamentos a serem tomados. Lembre-se sempre de utilizar aqueles , como hair loss blocker anvisa, que são aprovados pela ANVISA, órgão regulador de remédios brasileiros.